24 de ago de 2015

Galo 2x1 Palmeiras - Análise do jogo e avaliação dos jogadores

Fim do Jejum. Após quatro jogos sem vencer o Galo volta a conquistar os três pontos e dar alegria aos torcedor, que além de lotar o Independência, não se calou em nenhum minuto, mesmo começando perdendo. 

Galo que começou jogando como nos outros jogos, em cima, mas sempre cedendo espaços, levou um gol aos quatro minutos de jogo. Mas a torcida não se calou e empurrou o time que continuou em cima do adversário até que Donizete faz um excelente passe e de cabeça, Lucas Pratto se adianta a marcação e ao goleiro para abir o placar pro Galo. Dali em diante foi só pressão. Galo se impôs e não sofreu perigo, atacou e pressionou o adversário que ficou acuado na defesa. O Galo apesar de melhor em campo, não finalizava a gol e por isso poucas chances claras de gol. Mas claro mesmo foram os pênaltis a favor do Galo. Após Edcarlos ser derrubado na área e o juiz não ver, Giovanni Augusto foi derrubado quando ia cabecear para o gol. E pasmem: Após vários pênaltis não marcados  para o Galo, e também após a diferença de Galo e Corinthians chegar a 7 pontos, um árbitro marca a penalidade a favor. 

Pênalti pro Galo com Pratto em campo é gol. Até aqui o Urso não perdeu nenhuma cobrança, manteve a eficiência e marcou seu nono gol no campeonato brasileiro. Fim do primeiro tempo perfeito após sofrer um gol no início. 

Segundo tempo foi quase o mesmo. Galo um pouco mais bem postado na marcação, aproveitou os espaços e chegou com muita facilidade no ataque, mas não finalizou e perdeu várias chances. Após o adversário fazer as três alterações e colocar o time no ataque, o Galo que não sabe apenas marcar, apostou no contra ataque e buscou o terceiro gol. Jogo aberto e com emoção de sobra pro torcedor. Diferente dos jogos que perdeu, o adversário não aproveitou as chances que criou e com isso o Galo aproveitou das suas oportunidades e voltou a vencer.

A torcida, que foi fundamental para a virada atleticana, foi um show a parte. A torcida vem comportando como a antiga Massa e entendendo que não temos um super time, mas sim uma gigante instituição na qual vale a pena ver jogar e vale a pena amar. Essa torcida é que poderá ser o craque do time, a cereja do bolo de um time que pode ser campeão não só do brasileirão, como da copa do Brasil.

Victor (6,5):  Não teve culpa no gol sofrido e salvou o Galo em vários momentos quando saiu do gol para ajudar a defesa. Não fez defesa difícil, mas fez excelentes defesas que garantiram a vitória.

Marcos Rocha (6,5): Voltando a velha forma aos poucos, não consegue ser excepcional, mas seu rendimento melhora muito quando outro jogador o ajuda a marcar. 

Edcarlos (7,0): Muito seguro, Edcarlos vem calando a maioria dos torcedores que criticaram não só a contratação, mas também a renovação do seu contrato. Perfeito nos desarmes e ganhando as bolas pelo ar, também cobriu os laterais e quando foi ao ataque voltou com muita velocidade.

Jemerson (6,5):  Bastante seguro, foi guerreiro e segurou os velocistas do time adversário. Por pouco não fez o gol da tranquilidade.

Douglas Santos (7,0): Lateral de seleção, comportou-se como tal e fez uma grande partida.

Rafael Carioca (6,5): Errou passes, o que não lhe é comum, mas manteve a qualidade no desarme. Jogador diferenciado.

Leandro Donizete (7,5): Autor da única assistência no jogo, Donizete desfilou categoria e raça no jogo. De caneta a pontapé, Donizete foi além de leão, o dono do meio campo.  

Giovanni Augusto (7,0): Jogador muito diferenciado. Movimenta bem, tem excelente posse de bola e não a perde com facilidade. Bate bem na bola e tem uma bola parada excelente.  

Thiago Ribeiro (6,5): Teve muita posse de bola, mas não conseguiu concluí-la em gol. Falhou no lance do gol do adversário, mas foi bem ao longo da partida sem ser decisivo.

Luan (6,5): Começou mal, sem ritmo acabou ficando exausto muito rápido. Mas isso não foi suficiente para parar o baixinho. Luan deu a volta por cima, melhorou e foi o homem que ligava a defesa ao ataque. Correu e ajudou na marcação e quase fez o gol da tranquilidade.

Pratto (8,5): O cara do time no jogo, Pratto fez boas jogadas, brigou no campo inteiro e decidiu com dois gols e muita briga. 


Imagem: Denis Dias/ Gazeta Press

Substitutos:

Patric (6,5): Entrou pra dar um gás no ataque e ajudar na defesa. Foi eficiente naquilo que o Levir queria.

Dátolo (6,0): Entrou no fim do jogo e não comprometeu. Mas não conseguiu segurar a bola

Guilherme (6,0): Entrou e não conseguiu ser decisivo.

18 de ago de 2015

Parcial 6 - Prêmio Blog Galo de Prata

Após o fim do primeiro turno o Galo não está mais na liderança, mas continua na ponta de cima. Hora de um novo recomeço e de voltar a vencer. Com os resultados ruins, as notas de todos os jogadores caíram um pouco, mas nada que preocupe o atleticano. O time fez sim um bom primeiro turno e pode voltar a sonhar alto quando os jogadores voltarem a serem regulares.

Mas e ai, quais foram os principais jogadores do Galo nesse primeiro turno? E o mais regular?

O prêmio Blog Galo de Prata vai para o jogador mais regular desse time, não aquele que fez mais gols ou deu assistências, mas para o que manteve o melhor aproveitamento durante o ano. As notas são totalmente parciais, vindas de atleticanos que acompanham sempre os jogos. Esse é um prêmio do torcedor para aquele jogador que pode não ter tanto destaque, mas ajudou o time na campanha do brasileirão.

Goleiro:

Victor: 6,58 (18 jogos)

Zagueiros:

Leo Silva: 6,88 (17 jogos)

Jemerson: 6,92 (18 jogos)

Edcarlos: 6,75 (2 jogos)*


Lateral Direito:

Patric: 6,78 (7 jogos)

Carlos César: 6,70 (5 jogos)

Marcos Rocha: 6,25 (6 jogos)

Lateral Esquerdo:

Douglas Santos:  6,53 (17 jogos)

Pedro Botelho: 5,50 (3 jogos)*

Volante:

Rafael Carioca: 6,83 (18 jogos)

Leandro Donizete: 6,64 (14 jogos)

Josué: 6,36 (7 jogos)

Danilo Pires: 6,0 (2 jogos)*

Meias:

Dátolo: 6,32 (11 jogos)

Giovanni Augusto: 6,75 (16 jogos)

Guilherme: 6,00 (9 jogos)

Maicosuel: 6,75 (10 jogos)

Dodo: 6,00 (5 jogos)*

Cardenas: 6,33 (6 jogos)

Atacantes:

Carlos: 6,33 (12 jogos)

Luan: 7,11 (9 jogos)

Pratto: 7,00 (17 jogos)

Thiago Ribeiro: 6,59 (17 jogos)

* Não atingiu o número de jogos necessários para brigar pelo prêmio. É necessários ter jogado 1/3 dos jogos. Até o 
momento (6 jogos)
** Não foi dado notas aos jogadores na primeira rodada

Imagem: Getty Images


O Time ideal do primeiro turno:

                          Victor,

Patric, Leo Silva, Jemerson e Douglas Santos; 

                  Donizete e Carioca
                  Giovanni Augusto
Luan                                               Maicosuel

                     Lucas Pratto

O Top 3:
Luan (7,11)

Pratto (7,00)

Jemerson (6,96)

17 de ago de 2015

Galo 1x2 Chapecoense - Análise do jogo, jogadores e do primeiro turno alvinegro

No fim do primeiro turno as jogadas sem objetivo, cruzamentos e excesso de passes errados foram o retrato do Galo nos últimos do jogos. Jogando com o melhor disponível no momento o Galo até tentou dominar o jogo, mas parou nos erros individuais. Na frente não conseguia chutar ao gol e tinha um Guilherme desatento e pouco participativo. 

Até 30 minutos do primeiro tempo o adversário pouco assustou. E continuaria assim até que Dátolo recuou uma bola infantil do meio campo até a área onde um jogador adversário estaria amarrando as chuteiras. Para evitar o gol, Leonardo Silva desesperado fez uma falta para matar a jogada, mas o arbitro entendeu que seria para expulsão. Na dúvida, a regra diz que é sempre contra o Galo, ou a favor de um dos queridos da entidade que manda no futebol brasileiro. 

A partir da expulsão, o Galo com um a menos foi outro time. Com raiva, descontrolado e sem qualidade técnica nenhuma o Galo terminou o primeiro tempo sem chutar a gol. 

No segundo tempo foi mais do mesmo. Galo perdido em campo e indo pro abafa e tentando dar pressão, mas sem nenhum sucesso. Mas aos 20 minutos a sorte resolveu ajudar. Após escanteio, Pratto cabeceou e o goleiro fez bela defesa, mas a bola bateu no zagueiro adversário e voltou pra dentro do gol. O melhor ataque do campeonato, que não marcava um gol há 2 partidas inteiras ou 292 minutos, precisou da ajuda da zaga adversária para voltar a marcar. 

Após o gol o time adversário se propôs a atacar e colocou jogadores ofensivos, mas o Galo continuava a atuar sem um cérebro e não soube esperar a hora de atacar e defender, foi pra cima e Dodo até teve a chance de virar o jogo, mas uma pífia finalização na frente do gol impediu a virada atleticana. Após se mandar desesperadamente ao ataque e deixar a defesa aberta, o Galo levou o segundo gol quando Apodi ganhou na corrida, e dominou com o braço, mas coisas assim o juiz é incapaz de ver a favor do Galo e após dar dois dribles em Pedro Botelho, concluiu a gol e decretou o placar.

O elenco do Galo não é forte, e nunca foi. Tínhamos um elenco numeroso e caro, mas com peças caras que pouco acrescentavam como: Marion, André, Jô, Neto Berola e Jemerson. Talvez a maior perda tenha sido a saída do Maicosuel, que após um início de ano fraco, fez duas boas partidas antes de ser emprestado.

A diretoria do Galo prepara o ano de 2016, corre atrás de iniciar as obras do futuro estádio do Galo e já renovou com quase todo o time titular a permanência para no mínimo 2017. Ou seja, a diretoria do Galo trabalha visando um futuro de glórias, um futuro seguro e que brigaremos sempre por título. Mas na cabeça da imprensa barrista do eixo e dos torcedores por ela influenciados, o resultado tem que ser esse campeonato, mesmo que signifique 200 milhões em dívidas (como do outro lado da lagoa).

A diretoria, não esperava a liderança e nem jogar tão bem e regular como fizemos. Mas uma vez na liderança, cabia um esforço maior da direção para que ao menos brigássemos com mais algumas peças disponíveis. Patric e Maicosuel não precisavam sair do time e uma contratação a mais poderia ser feita para o ataque.

Mas na minha posição, só posso mesmo torcer. E como torcedor, após anos brigando pela zona de rebaixamento, não acho em hipótese nenhuma que um segundo lugar no Brasileiro seja demérito para alguém.

Victor (6,0): Sem culpa no gol sofrido de falta, mas faltou um algo mais do melhor goleiro do Brasil para que ao menos o segundo gol fosse evitado. 

Marcos Rocha (6,0): Mal tanto na marcação como no ataque. Marcos Rocha necessitará de muitas partidas para voltar a antiga forma.

Leo Silva (5,5): Apesar de não merecer a expulsão, Leo Silva fez uma falta de juvenil na entrada da área e deu margem para que a arbitragem agisse. 

Jemerson (6,5):  Manteve a pegada no segundo tempo e conseguiu evitar que o Galo sofresse outros gols.

Pedro Botelho (5,0): Pior disparado da partida, Pedro não conseguiu acertar nenhum cruzamento ou passe no ataque, e ainda foi facilmente batido pelo lateral adversário.

Rafael Carioca (6,5): Controlou bem o jogo pro Galo, mas não conseguiu fazer a diferença jogando sozinho no meio campo. 

Leandro Donizete (6,0): Até tentou ligar a bola ao ataque, mas não conseguiu ser eficiente. Marcou e ajudou a segurar o impeto do adversário.  

Guilherme (5,5):  Não apareceu pro jogo.

Datolo (5,5):  Jogando dessa vez aberto pela esquerda, mostrou que não pode atuar como homem de ponta e que joga apenas em uma posição no meio campo. Voltou nervoso ao time e fez com que todo o ataque caísse de produção.

Luan (6,5): Tentou, brigou e correu o máximo que pôde, mas sozinho com o Pratto no ataque ficou bastante isolado e acabou sem conseguir finalizar a gol.

Pratto (6,5): Lutou bastante e até sofreu um pênalti não marcado. Chutou e quase marcou no primeiro tempo. Após a expulsão sofreu com os cruzamentos errados dos companheiros. 



Imagem: Foto do vídeo (sportv.com)



Substitutos

Dodo (5,5): Entrou e deu velocidade ao time, mas perdeu um gol feito na frente do gol. Apesar desse lance, teve boa movimentação. 

Josué (6,0): Entrou para ajudar o Galo a manter a posse de bola e ajudar na marcação, mas não funcionou. 

Edcarlos (6,5): Segurou o adversário e fez cortes importantes, mas quando subiu ao ataque tentando ajudar, foi quando sofremos o segundo gol por falta de jogadores para cobrir o lateral. Mesmo assim entrou seguro.

14 de ago de 2015

Galo 0x2 Grêmio - Análise tática e Avaliação dos jogadores

Galo fez mais um jogo normal, atacou com intensidade, teve oportunidades, foi pro abafa e deu espaços para o contra ataque. Resumo de partidas como contra o Figueirense e a Ponte Preta, mas o Grêmio, diferente desses times, soube aproveitar as duas chances á frente do gol para sacramentar a vitória. 

Além da boa marcação do adversário, o Galo contou com um primeiro tempo muito abaixo do que pode fazer. Guilherme que novamente não acertou nenhum passe era o principal armador de contra ataques e o maior perigo para a defesa alvinegra. Claramente sem ritmo de jogo, ele tentou de todas as formas ser decisivo, mas a cada erro o nervosismo aumentava e gerava um novo erro. Ciclo vicioso que era contido pela defesa. Defesa que foi firmo durante todo o primeiro tempo, onde o Grêmio levou apenas perigo aos 40 minutos. Após perder mais uma bola no ataque, o meio campo e laterais avançaram a marcação e deram o bote tentando roubar a bola. Como não conseguiram, deixaram a defesa sozinha contra 4 adversários, que levaram a melhor e abriram o placar. 

O segundo tempo sem alterações na escalação foi também sem alteração na forma de jogar, mas com o nervosismo da derrota a defesa ficou fragilizada e deu espaços. Em um deles a defesa parou esperando a irregularidade que não aconteceu e ampliaram o marcador. 

Após o banho de água fria o Levir finalmente decidiu mexer na equipe. Luan e Dodo deram outra cara a equipe, que dominou o jogo e foi firme na marcação. Acuou o adversário e mostrou toda a sua qualidade. Alias, faltou mostrar a qualidade e eficiência na finalização. Inúmeras chances de finalizar e todas em cima da defesa ou do goleiro. Em um lance sem goleiro, Pratto cabeceou para fora, retratando o que foi o jogo para o Galo: Muito volume de jogo, erros bobos e falta de pontaria.

A torcida que deu show do inicio ao fim de jogo, aplaudiu a vontade do time, mostrando aos cornetas da internet que o verdadeiro atleticano quer o título sim, mas não por vaidade própria, mas porque ama o Galo e quer sempre vê-lo como o melhor. O Galo está acima de tudo e por isso, mesmo sem estar mais na liderança a torcida continuará a lotar o estádio e a apoiar o time. 

Victor (6,0): Apesar de não ter culpa nos gols sofridos, o primeiro gol poderia ter sido evitado pelo arqueiro do Galo. 

Marcos Rocha (6,0): Sem brilhantismo no ataque, Marcos Rocha foi lento na recomposição e acabou dando espaços que resultaram nos gols, ambos saindo pelo lado direito.

Leo Silva (6,5): Excelente primeiro tempo, onde tentou e brigou e quase foi perfeito. No segundo tempo, jogou mais avançado e mesmo sozinho atrás conseguiu que o time não sofresse mais gols.

Jemerson (6,5):  Jogando próximo do companheiro, Jemerson fez grandes desarmes e não falhou nos gols sofridos. Tentou ajudar como pôde e mesmo sozinho na defesa evitou que o Galo sofresse mais gols. 

Douglas Santos (6,5): Mau nos cruzamentos para a área, Douglas foi eficiente á marcação em seu setor. 

Rafael Carioca (6,0): Ganhou e dominou o meio campo durante boa parte do jogo, mas um bote errado no ataque gerou o primeiro gol adversário. 

Leandro Donizete (6,5):  lotou como pôde, mas não conseguiu evitar os gols sofridos.  

Guilherme (5,5): Sem desculpa de gramado e de jogar fora de posição, Guilherme errou tudo que tentou no jogo. Enfeita muito os lances e não faz o simples, gera contra ataques e não volta para ajudar na marcação.  

Datolo (6,5):  Muito mal no primeiro tempo quando jogou pela direita, mas foi o principal homem de meio campo no segundo tempo e até mandou uma bola na trave. Jogando de segundo meio de campo, Dátolo pode render muito, como foi na copa do Brasil.

Thiago Ribeiro (6,0): Muito mal no jogo, Thiago conseguiu errar chutes e desperdiçar jogadas. Principal destaque para a bola perdida que gerou o primeiro gol do adversário.

Pratto (6,5): Tentou dentro da área mas teve que sair muito dela e mesmo assim conseguiu ser criativo e por pouco não foi decisivo. Jogador inteligente, mas que não teve a mesma pontaria de sempre.


 Bruno Cantini/CAM


Substitutos:

Luan (6,5): Luan entrou e mudou a cara do jogo, mas não conseguiu ser decisivo. Não por parte do jogador, que deixou por duas vezes os companheiros na cara do gol para marcar. Ainda sem ritmo ele não deverá ser titular, mas assim que voltar terá vaga no time. 

Dodo (6,0): Entrou e ajudou, mas não conseguiu ser decisivo nas chances que teve. 

10 de ago de 2015

Galo 0x0 Goias - Crônica, análise tática e avaliação dos jogadores

Um ponto fora da curva. É assim que os atleticanos esperam que esse jogo de ontem tenha sido. Após várias rodadas de bom futebol, ontem o Galo abusou dos erros, deu espaços (assim como vinha dando espaços em jogos anteriores, mas foi coberto pelas vitórias) para que o adversário explorasse. Mas a sorte estava ao lado do líder, que mesmo com uma péssima partida e dando chance do adversário golear o time, o Galo contou com o campo ruim e a falta de pontaria do Goias, um dos piores times do campeonato. 

O jogo começou com três jogadores no meio campo e o Thiago mais enfiado no ataque, mas aos poucos o desenho foi pra normalidade: Cárdenas isolado na direita, Guilherme perdido no ataque e o Thiago Ribeiro perdendo gols pela esquerda. Giovanni e o resto do time em sua posição de origem, que não significa que cumpriram bem o seus papéis. Os laterais foram um ponto de desequilíbrio, pois avançaram juntos ao ataque e deixaram a defesa desprotegida. E quando subiram ao ataque, o desastre foi maior: erros de passes, cruzamentos e dribles. 

Os volantes tiveram uma missão espinhosa, ligar a defesa ao ataque e muitas vezes jogaram para os laterais, que foram muito mal. O campo não ajudou em nada ao jogador que mais acerta passes no campeonato, Rafael Caioca. Donizete que não é tão bom como o companheiro, teve ainda mais dificuldades, que afetou também Giovanni Augusto e Cárdenas. Giovanni, líder em assistências após a saída do Patric, não conseguiu colocar nenhum companheiro em um bom lance para finalizar. Cárdenas bem que tentou, correu e marcou, mas não conseguiu criar e ainda sem preparo físico não aguentou jogar a partida inteira. 

No ataque, Guilherme não conseguiu acertar domínio de bola, passes curtos e lançamentos. Guilherme, que pela primeira vez foi titular, foi um desastre em campo. Thiago Ribeiro também foi mal, não em passes e arrancadas, onde foi o mais lúcido e mais próximo do gol, mas desperdiçou as chances que teve na frente do gol.

O jogo foi horrível, mas uma derrota onde não merecíamos vencer. Podemos e vamos jogar mais do que isso e ficou claro que o time não é imbatível, assim como todos os outros no campeonato. A força do Galo está no grupo, no time bem treinado e na união com a torcida, que jogando juntos dentro de casa, podemos ser imbatíveis. Que a Massa não se iluda com liderança no primeiro turno, que não se abata com as derrotas e continue o princípio de todo atleticano: O Galo acima de tudo! 

Aqui é Galo! E vamos juntos para mais uma batalha!!


Victor (7,0): Foi seguro e salvou o Galo da derrota. Mais uma boa partida do Santo.

Marcos Rocha (6,0): Prejudicado pelo gramado irregular, forte sol e também contagiado pelo nevrosismo de todo o time, Marcos Rocha perdeu muitas jogadas, errou passes e dribles, deixando a defesa aberta.

Leo Silva (7,5): Tentou chutões para evitar errar passes na defesa, e seus desarmes cruciais garantiram o empate atleticano.

Jemerson (7,5):   Ao mesmo nível do companheiro, desarmes perfeitos que garantiram o 0 no placar do adversário. 

Douglas Santos (6,0): Erros infantis na saída de bola, cruzamentos mal feitos e espaço dado ao adversário fizeram Levir substituí-lo no início do segundo tempo.

Rafael Carioca (6,5): Não comprometeu, fez mais do mesmo, tentando ligar a defesa ao ataque. 

Leandro Donizete (6,5):   Ajudou na marcação e na cobertura aos laterais. Errou passes, mas ele mesmo recuperava a bola. 

Giovanni Augusto (6,5): .Melhor homem de frente, não conseguiu ser decisivo nos passes, errando muitas jogadas. Faltou ajuda dos companheiros e um homem de frente para receber seus lançamentos. 

Cárdenas (6,0):  Errou muito assim como todo o ataque.

Thiago Ribeiro (6,0) Perdeu as melhores chances do time no jogo.

Guilherme (5,5): Erou tudo o que tentou e não aproveitou a chance dada pelo Levir. 



Imagem: Francisco Stuckert/Agêncai Estado

Substitutos:

Pedro Botelho (5,5): Errou tudo que tentou pela esquerda. Nada deu certo e só piorou o que já estava ruim para o Atlético.

Dátolo (6,5): Entrou bem e em pouco tempo levou mais perigo ao adversário do que Cárdenas e Guilherme juntos.

Dodo (6,0): Manteve o fraco nível do ataque. 

3 de ago de 2015

Parcial 5 - Prêmio Blog Galo de Prata

Galo continua na liderança e jogando um bom futebol. Não aquele futebol encantador de antes, mas um que é extremamente eficaz. Os jogadores se alternam e a cada partida dois ou três deles são destaques nas partidas. Essa alternância de papel principal e a regularidade de todos faz com que o time do Galo a cada dia mais se consolide como favorito ao título e candidato a ficar com uma das vagas para a próxima libertadores.  

Essa regularidade pode ser vista em cada pós jogo escrito aqui no blog e confirmado pelas notas ao final de cada jogo. O time não tem nenhum craque ou jogador referência, é um time que junto faz a diferença frente qualquer adversário. Clube estruturado, torcida apoiando e time bem treinado são os segredos do Galo de Levir que dá show a cada rodada. 

O prêmio Blog Galo de Prata vai para o jogador mais regular desse time, não aquele que fez mais gols ou deu assistências, mas para o que manteve o melhor aproveitamento durante o ano. As notas são totalmente parciais, vindas de atleticanos que acompanham sempre os jogos. Esse é um prêmio do torcedor para aquele jogador que pode não ter tanto destaque, mas ajudou o time na campanha do brasileirão.

Goleiro:

Victor: 6,63 (15 jogos)

Zagueiros:

Leo Silva: 6,96 (14 jogos)

Jemerson: 6,97 (15 jogos)

Edcarlos: 7,00 (1 jogo)*


Lateral Direito:

Patric: 6,78 (7 jogos)

Carlos César: 6,7 (5 jogos)

Marcos Rocha: 6,50 (3 jogos)*

Lateral Esquerdo:

Douglas Santos:  6,57 (15 jogos)

Pedro Botelho: 6,00 (1 jogo)*

Volante:

Rafael Carioca: 6,93 (15 jogos)

Leandro Donizete: 6,72 (11 jogos)

Josué: 6,42 (6 jogos)

Danilo Pires: 6,0 (2 jogos)*

Meias:

Dátolo: 6,44 (8 jogos)

Giovanni Augusto: 6,77 (15 jogos)

Guilherme: 6,25 (6 jogos)

Maicosuel: 6,75 (10 jogos)

Dodo: 6,25 (2 jogos)*

Cardenas: 6,40 (5 jogos)

Atacantes:

Carlos: 6,33 (12 jogos)

Luan: 7,28 (7 jogos)

Pratto: 7,07 (15 jogos)

Thiago Ribeiro: 6,67 (15 jogos)


* Não atingiu o número de jogos necessários para brigar pelo prêmio. É necessários ter jogado 1/3 dos jogos. Até o 
momento (5 jogos)
** Não foi dado notas aos jogadores na primeira rodada

Imagem: Luiz Costa/Hoje em Dia
Os 11 ideais

Victor, Patric, Leo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Carioca,Donizete, Giovanni e Maicosuel; Pratto e Luan.

O Top 3

1º Luan

2º Pratto

3º Jemerson

Top 3 pela primeira vez com a presença do Urso alvinegro. Luan, destaque nas 5 primeiras partidas do Galo, com notas muito altas, continua a ser o líder do prêmio. Lucas Pratto com belas atuações nos dois últimos jogos, chega a disputa. Jemerson, que é o retrato de eficiência e regularidade, se mantém no topo e deixa seu companheiro de zaga para trás. E ai, quem leva essa?