14 de jan de 2016

Galo 2016 Deixa Cartão de Visitas

   Fala massa e enfim começou 2016 pro Galo, e o primeiro desafio do ano aconteceu longe de BH o time está nos EUA disputando a Florida Cup, e o adversário foi o alemão Schalke 04 que já disputou uma partida com o Galo no dia 12 de novembro de 1950 por 3 a 1 pela "Copa do Gelo"  titulo eternizado no nosso Hino. 
  Mais de 65 anos depois o reencontro os alemães vem no meio da temporada europeia enquanto o alvinegro começou a sua pré-temporada no dia 4, o jogo marcou a estreia do novo treinador Diego Aguirre que já deu amostra de uma equipe mais consistente no sistema defensivo uma das maiores reclamações sobre o time do ano passado. 
    No primeiro tempo a equipe iniciou o jogo apenas com uma mudança em relação a equipe considerada titular n temporada anterior, Thiago Ribeiro começou no lugar considerado de Datolo. Logo aos 7 minutos de jogo após cobrança de escanteio de Giovanni Augusto, Leo Silva de cabeça abriu o placar, Durante o resto da primeira metade do jogo, chances surgiam para os dois lado, o time alemão chegou a acertar a trave enquanto o alvinegro continuava se movimentando bem no ataque principalmente com o argentino Pratto que sempre buscava jogo e tentava criar boas oportunidades. 
    No segundo tempo os treinadores das duas equipes fizeram muitas alterações aproveitando a possibilidade executar mais de 3 alterações e alteraram bastante as equipes, mais os jogo continuou pegado e aos 35 minutos a bola bateu ne Edcarlos e o arbitro se equivocou e marcou pênalti, mais embaixo das traves ainda existe São Vitor que mais uma vez defendeu o pênalti cobrado no seu canto direito. 
  Na sequência tolo que após entrar  havia mudado o estilo do meio campo alvinegro lançou para Hyuri que dividiu a bola com os zagueiros adversários e na sobra Patric marcou o segundo encobrindo o goleiro. Pouco tempo depois Lucas Cândido que já havia agradado a torcida na ultima partida do ano acertou belo chute no angulo e marcou o terceiro. 
  O Galo tem chance de levantar a taça da Florida Cup já na próxima rodada basta vencer o Corinthians e o jogo entre Fluminense e Shakhtar ficar empatado. 
  
  
Ficha Tecnica  
ATLÉTICO 3 X 0 SCHALKE 04 
  
Atlético 
Victor; Marcos Rocha (Carlos, 18 do 2º), Leonardo Silva (Erazo, 18 do 2º), Jemerson (Edcarlos, 26 do 2º) e Douglas Santos (Cazares, 26 do 2º); Leandro Donizete (Hyuri, 18 do 2º), Rafael Carioca (Eduardo, 26 do 2º), Giovanni Augusto (Patric, no intervalo) e Luan (Mansur, 26 do 2º); Lucas Pratto (Dátolo, 18 do 2º) e Thiago Ribeiro (Lucas Cândido, intervalo) 
Técnico: Diego Aguirre 
  
Schalke 04 
Ralf Fährmann (Nubel, intervalo); Júnior Caiçara, Max Meyer (Sidney Sam), Leon Goretzka (Sead Kolasinac, intervalo) e Eric-Maxim Choupo-M (Franco di Santo, intervalo); Dennis Aogo (arvin Friedrich, 29 do 2º), Alessandro Schöpf (Sascha Riether, intervalo), Pierre-Emile Hojbjerg (Younes Belhanda, intervalo) e Joel Matip (Leroy Sane, intervalo); klaas-Jan Huntelaar (Roman Neustädter, 29 do 2º) e Roman Neustädter (Johannes Geis, intervalo) 
Técnico: André Breitenreiter 
  
Motivo: Florida Cup 
Estádio: Lockhart, em Fort Lauderdale (EUA) 
Árbitro: Ted Unkel (EUA) 
Auxiliares: Mark Cahen (EUA) e Brian Poeschel (EUA) 
Cartão amarelo: Luan  
(Via: Superesportes) 

11 de dez de 2015

E o Prêmio Blog Galo de Prata da temporada vai para? Descubra aqui o jogador mais regular da temporada.

Quem será que foi o jogador mais importante do Galo no brasileirão?

E apesar dos vários jogadores testados, quais foram os jogadores indicados aos 11 ideais?

O prêmio Blog Galo de Prata vai para o jogador mais regular do time, não aquele que fez mais gols ou deu assistências, mas para o que manteve o melhor aproveitamento durante o ano. As notas são totalmente parciais, vindas de atleticanos que acompanham sempre os jogos. Esse é um prêmio do torcedor para aquele jogador que pode não ter tanto destaque, mas ajudou o time na campanha do brasileirão. 

O prêmio foi liderado por quase todo o campeonato para o baixinho Luan, mas na reta final a constante dedicação e entrega do jovem zagueiro alvinegro, fez a diferença para Jemerson ser escolhido como o jogador mais regular do brasileirão. Leo Silva, o outro zagueiro do Galo, teve nota média igual a Luan e por isso ficou também na segunda colocação.

Veja o ranking:

1º Jemerson (6,85)
2º Leo Silva (6,84)
    Luan (6,84)
4º Pratto (6,76)
5º Leandro Donizete (6,70)
6º Carioca (6,64)
7º Victor (6,63)
8º Giovanni Augusto (6,58)
9º Patric (6,46)
10º Dátolo (6,44)
11º Thiago Ribeiro (6,38)
12º Douglas Santos (6,32)
13º Marcos Rocha (6,31)
14º Josué (6,29)
15º Cárdenas (6,23)
16º Carlos (6,18)

Não atingiram o número mínimo de jogos (12)

- Lucas Candido (7,0) 1 jogo
- Tiago (7,0) 1 jogo
- Maicosuel (6,75) 10 jogos
- Carlos César (6,7) 5 jogos
- Eduardo (6,5) 1 jogo
- Edcarlos (6,43) 7 jogos
- Guilherme (6,00) 10 jogos
- Dodo (6,00) 10 jogos
- Danilo Pires (6,00) 2 jogos
- Mansur (6,00) 1 jogo
- Pedro Botelho (5,67) 6 jogos

Foto: Bruno Cantini/Atletico




Os 11 ideais

Goleiro
Victor 

Zagueiros

Jemerson
Leo Silva

Lateral direito

Patric

Lateral esquerdo

Douglas Santos

Volantes

Donizete
Carioca

Meias

Giovanni Augusto
Dátolo

Atacantes

Luan
Lucas Pratto

E ai, concorda? Reveja as notas jogo a jogo e envie seu comentário através das nossas redes sociais: Facebook, FanPage e Twitter

Confira a temporada de Jemerson no vídeo abaixo.

7 de dez de 2015

Galo x Chapecoense - Que venham mais conquistas

Após um belo ano, o Galo se despede de seu torcedor e do ano de 2015 com saldo positivo. Apesar de não ter conquistado nenhum título de expressão nacional nessa temporada, o Galo viu que está muito mais parto das conquistas a cada ano que passa. 

Após vencer o título estadual com tranquilidade, o Galo foi eliminado precocemente nas oitavas de final da Libertadores e da Copa do Brasil. Apesar desses maus resultados, o time jogou bem, teve perto das vagas e só ficou de fora por detalhes. Detalhes esses que deverão ser prontamente corrigidos, já que em alguns casos foram erros individuais que nos custaram avanças mais longe. Porém, a males que vem para bem. Sem o foco nas competições de mata mata, o Atlético concentrou todas as suas forças no campeonato Brasileiro e com méritos foi vice campeão. A diferença entre o vencedor e o Galo foi apenas os confrontos diretos. os 6 pontos perdidos acabaram custando o campeonato. 

Nada a lamentar. Na vida temos sempre que olhar para frente e a sempre um ano novo para buscarmos antigos objetivos. Hoje com a estrutura, a base do time, a força da arquibancada e as contas em dia, o Galo surge sempre como candidato a conquistas de coisas importantes. 

Que Daniel saiba dos pontos fracos do time para que em 2016 possamos nos fortalecer e corrigir os erros desse ano e com isso, conquistar de novo grandes títulos como fizemos em anos anteriores. 

O último jogo. O Galo entrou em campo tranquilo. Já sabia que a segunda colocação estava garantida e por isso jogou 90 minutos sem se doar ao máximo. Foi um jogo tranquilo e sem desespero para jogadores e torcedores. 

O time até levou alguns sustos, mas rapidamente se reencontrava em campo. E foi assim até o primeiro gol, gol que deu uma tranquilidade maior da arquibancada ao banco de reservas.

Com o jogo na mão, Diogo Giacomini aproveitou para lançar os garotos da base, que entraram bem e mantiveram o volume do jogo. E com mais dois gols na fase final, o time saiu aplaudido de campo e a torcida pode ir para casa sorridente e esperançosa com o ano de 2016. 

Victor (6,5): Foi tranquilo e fez defesas precisas para garantir a vitória alvinegra. 

Marcos Rocha (7,0): Melhor partida no ano, Marcos Rocha voltou a correr, marcar e se entregar em campo. 

Léo Silva (8,0):  Excelente partida do capitão, que além de ser um monstro na defesa, ainda balançou as redes.

Jemerson (7,0): Muito bem posicionado, teve muita facilidade ao desarmar os adversários. Foi seguro como sempre.

Patric (7,0): Começou muito mal, não conseguia marcar. No segundo tempo ele apareceu várias vezes dentro da área adversária e até balançou as redes. Levir talvez estivesse certo, ele é mais meia que atacante, já que pouco voltou para marcar e ajudar a defesa. 

Rafael Carioca (6,5): Foi tranquilo e distribuiu ótimos passes. Saiu para a entrada do jovem Eduardo.

Lucas Candido (7,0): Depois de 9 meses parado, Lucas voltou ao time titular e fez uma excelente partida. Errou passes e desarme devido ao tempo inativo, mas no geral substituiu o leão Donizete muito bem.

Thiago Ribeiro (6,5): Apareceu pela primeira vez aos 30 minutos do primeiro tempo, quando errou um gol sem goleiro. Mas na segunda chance, também sem goleiro, fez o seu gol. No segundo tempo foi muito acionado, mas não deu sequência aos lances. 

Giovanni Augusto (7,0): Demorou a conseguir achar seu espaço, mas devido a falta de interesse do adversário teve tempo para pensar e distribuir bons passes. Saiu com duas assistências do jogo. 

Luan (6,5): Jogou bem, puxou contra ataques, criou jogadas e até mesmo ajudou à marcação. Foi o motor do time novamente, mas na frente do goleiro não teve a mesma eficiência.

Pratto (6,5): Perdeu duas chances de frente para o gol, lance que a muitos jogos não se repetia. Infelizmente ele não teve a mesma frieza que teve no primeiro turno. 

Foto: Bruno Cantini

Substituos:

Carlos (6,0): Não tocou na bola e nada produziu.



Eduardo (6,5): Teve uma chance sem goleiro e desperdiçou, mas no geral manteve o nível de atuação de Rafael Carioca, a quem substituiu.

Cárdenas (6,0): Despedida do meia colombiano que se resumiu no último jogo. Cárdenas jogou sempre em um ritmo diferente dos companheiros e passou sempre longe do gol.

30 de nov de 2015

Galo x Grêmio - Férias forçadas

Mais chutes, mais escanteios, mais posse de bola e mais jogadores. Mesmo assim o Atlético conseguiu perder para o Grêmio em Porto Alegre pelo placar de 2 a 1 o time do Galo vê agora a segunda colocação ameaçada. 

Com falhas individuais, e não só do goleiro Victor, o Galo perdeu a décima primeira no Brasileirão. Agora o Galo precisa vencer o último jogo, em casa, para não depender de outros resultados. 

O time se complicou logo no início. Após perder três chances boas de abrir o placar, o time sofreu gol na primeira finalização do adversário. 
Depois de sofrer o gol o time recuou um pouco e só chegou ao gol de empate graças a um pênalti sofrido por Dátolo e convertido por Pratto. Os últimos cinco gols do atacante argentino foram em cobranças assim, o que explica a falta de gols do ataque alvinegro. 

No segundo tempo vimos mais do mesmo. O fraco time do Grêmio  não conseguia trocar passes e a bola foi toda do Galo que atacou o tempo inteiro e desperdiçou todas as oportunidades. Já o adversário foi mais eficiente, na segunda bola ao gol, após cobrança de falta rasteira o Grêmio chegou ao gol da vitória e agora está um ponto só atrás do Galo na tabela.

O Galo se mandou ainda mais em busca do gol, mas conseguiu desperdiçar as chances que teve de frente com o gol. Como resultado, mais uma derrota para o alvinegro que vem sofrendo com a falta de pontaria e os erros individuais na defesa. 

Victor (6,0): Falhou nos gols sofridos. 

Patric (5,0): Errou tudo que tentou.

Léo Silva (7,0):  Jogou bem e só não sofremos uma goleada graças aos inúmeros desarmes do capitão.

Jemerson (6,5):  Tentou conter o ataque adversário e mas sozinho não teve sucesso. Em vários momentos brigou com os laterais para que pudesse ter ajuda, mas foi sozinho que teve que segurar os adversários.  

Douglas Santos (6,0): Fez até boas jogadas no início, mas começou a errar e não parou mais. 

Rafael Carioca (6,5): Tentou ajudar a equipe, mas estava desconcentrado. Acertou bons desarmes, mas errou mais do que acertou.

Leandro Donizete (6,5): No mesmo nível do companheiro, saiu para não ser expulso de campo.

Dátolo (6,5): Não conseguiu ser criativo, até tentou e pediu a bola, mas mesmo tendo uma fraca partida, Dátolo foi o principal meia na partida.

Giovanni Augusto (5,0): Não conseguiu jogar, ficou preso a marcação onde foi facilmente desarmado. 

Luan (6,5): Luan fez um ótimo primeiro tempo, mas depois caiu e produção junto com o time. Talvez por cansaço e falta de motivação.

Pratto (6,5): Pouco finalizou ou recebeu a bola em condições de chegar ao gol. Saiu sem finalizar a gol e foi muito prejudicado pelo fraco desempenho do ataque.



Substituos:

Carlos (6,0): Não tocou na bola e nada produziu.

Dodo (6,0): Nada acrescentou. 


28 de nov de 2015

Galo x Goiás - Obrigado, Levir!

No último jogo de Levir pelo Galo o time decepcionou. A despedida do treinador que poderia ter acontecido no último jogo do campeonato foi antecipada pelo fraco jogo feito diante do Góias, no empate de 2 a 2. 

Levir chegou ao Galo onde o time, diretoria e a torcida necessitava de humildade. Com seu jeito legal de ser, e sempre sincero, fez com que Tardelli e cia que não estavam jogando nada começassem a voltar a jogar futebol. Tardelli chegou a seleção, Marcos Rocha voou, Victor garantiu resultados, e as contratações somadas as apostas do treinador deram resultados. Dois títulos inéditos e mais um campeonato mineiro entraram na sede do clube. 

Já no brasileirão o time do Galo sofreu com os desfalques. Com poucas alternativas no elenco, o time se viu ainda mais frágil após saídas de Jô, André, Maicosuel e Guilherme. Ainda assim, com um time limitado, Levir nos colocou na improvável liderança do campeonato brasileiro, que nos foi tirada graças a erros seguidos de arbitragem. 
Após a perda da liderança, o time seguiu vencendo, mas deixou de convencer (talvez esse fosse o real futebol que deveria ter sido apresentado no primeiro turno e que só apareceu com o tempo). 

O time do Galo venceu o Mineiro depois do minuto 40 do segundo tempo e viu-se ainda a classificação às oitavas de final da libertadores sair somente após um golaço de fora da área também nos minutos finais. O time que deveria ter dado vexame no primeiro semestre mostrou luta e garra até o fim e por destino, conseguiu encantar, conquistar e manter a confiança do torcedor. 

O título estadual e o início de brasileirão nos fez esquecer o começo de ano ruim que o time teve, mas o segundo turno veio nos lembrar que pra termos um super time é necessário mais. Mais dinheiro, mais paciência e mais jogadores, mas não de mais treinador.

Levir fez milagres com o que tinha em mãos, mas também pecou. Muito preciosismo e falta de ambição o levaram a um caminho oposto do que o clube deseja. Mesmo que falte investimento para conseguir títulos, a diretoria e a torcida os cobrarão de qualquer jeito. 

Por isso, hoje, Levir não é mais treinador do Galo, mas o legado e as histórias que por aqui escreveu, serão sempre lembradas. 

Obrigado, Levir! Você é um cara legal.

Victor (6,0): Falhou no primeiro gol.

Marcos Rocha (6,0): Fez um gol, é verdade, mas pouco ajudou a equipe e saiu de campo para o time não levar mais gols. 

Léo Silva (6,5):  Jogou bem e tentou parar o ataque adversário, mas jogou sempre sozinho. 

Jemerson (7,0):  Tentou conter o ataque adversário e foi gigante em vários lances, mas sozinho, não conseguiu segurar o ataque adversário.  

Douglas Santos (5,5): Fez um jogo horrível onde foi facilmente driblado e errou passes, cruzamentos e posicionamento. Falhou individualmente no segundo gol do adversário ao não acompanhar o atacante que estava marcando. 

Rafael Carioca (6,0): Não conseguia fazer a bola chegar ao ataque. Sem opção de passe, foi facilmente desarmado. 

Leandro Donizete (6,5): No mesmo nível do companheiro, mas mostrando a raça de sempre tentou armar o jogo já que os meias não buscavam a bola.

Dátolo (6,5): Não conseguiu ser criativo, até tentou e pediu a bola, mas mesmo tendo uma fraca partida, Dátolo foi o principal meia na partida.

Giovanni Augusto (6,0): Não conseguiu jogar, ficou preso a marcação e foi facilmente desarmado. 

Luan (6,5): Luan fez um ótimo primeiro tempo e saiu com um gol, mas depois caiu e produção junto com o time. Talvez por cansaço e falta de motivação.

Pratto (6,0): Pouco finalizou ou recebeu a bola em condições de chegar ao gol. Saiu sem finalizar a gol e foi muito prejudicado pelo fraco desempenho do time.

Foto: Bruno Cantini


Substituos:

Carlos (6,0): Não tocou na bola e nada produziu.

Patric (6,0): Entrou no lugar do Rocha para melhorar o lado direito. Conseguiu melhorar o setor defensivamente, mas pecou quando foi ao ataque.


Thiago Ribeiro (5,0): Entrou e conseguiu errar tudo o que tentava. O Galo teve várias chances em contra ataques, mas Thiago errou passes, cruzamentos e domínio de bola. Jogo que mostra o porque o clube não deve renovar seu contrato.